O bálsamo das minhas dores

Devo ou não te amar,
posso ou não gostar,
preciso ou não chorar?

Talvez seja fácil falar
mas sentir, amar,
se confundir,
fazer o coração palpitar
mais rápido é complicado.

É complicado viver com isso,
conviver com o vicio,
se controlar.

Controlar m’nha alma,
disfarçar as batidas
aceleradas do coração,
nada disso é fácil
quando estou colado
com você.

Sua voz faz meu ouvido
não ouvir mais nada,
sua beleza faz a madruga,
fria, congelada,
aquecer e me fazer esquecer
as dores que eu deveria ter.

Um comentário sobre “O bálsamo das minhas dores

  1. Joe Gerbase disse:

    Comovente. Poesia, entenda-se: texto de particular interpretação. O poeta teve um ponto de vista ao escrever, o leitor haverá de ter outro. Mas há leitores e leitores… vc poderá perceber isso… Obrigado pelos seus escritos.

    JG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.