Alma abalada

Escuridão no quarto, a luz acesa
antes o que se conhecia na palma da mão
hoje se sente supresa, a presa da maldição

Seus medos e remorsos te assombram
enfraquecem os ossos, não você não está
a beira do colapso nervoso
mas a parede das veias explodem aos poucos

Algo jorra, mas não é sangue
calma, não chore, são apenas momentos
infelizes que te amaldiçoam mais uma vez

Outra vez, mais uma
sua alma de espuma não suporta
antes que a porta feche
peça socorro antes que o demônio da mente
regresse e não te deixe escolher uma prece
para o seu último dia de vida

O juízo final depende da sua alma
a sua calma em momentos frios
vai decidir se seu corpo
mora eternamente à beira de um rio
ou a sete palmos do chão
num país frio….
seu coração…

2 comentários sobre “Alma abalada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.