Casa do coração

Minha casa seu coração
meu quarto a eternidade
da combinação de pensamentos
entre nós dois

No nosso quarto, na cama quente
quando a gente se sente um só
quando o suor frio vem se manifestar
e logo depois nós dois a nos beijar
aumentamos a temperatura

Na cozinha entre panelas
entre comida fria eu lhe comia
sem pestanejar

Uma garfada como um prato de requinte
a se degustar, você minha rainha em nosso lar

Na varanda, quando não sobrou mais lugar limpo
eu pude lhe sujar mais uma vez,
a última talvez, que eu pude aguentar

Assim nos consumidos estreando cada cantinho
da nova conquista de casamento
recém-alimentado pelo vento
e aquecido pelo sol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.