Estação

Partiu às 11 dos trilhos frios de uma cidade pequena
viajou com delicadeza, o vermelho-ferro-enferrujado
a dar um tom diferenciado à mata verde; multicolorida
de pigmentos das aves desse país diversificado

Carregava à carvão, as rodas pesadas
passageiros apressados, desesperados
ia em grande velocidade, rasgando o tapete
à copa das árvores com rajadas de vento

E avançava quilometricamente por horas a fio
por dias e dias: uma mulher dava à luz,
um homem dormia com uma folha de jornal na face
enquanto que por fases via-se a lua sumindo
era essa a rota em que um mês atrás eu via o trem partindo

2 comentários sobre “Estação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.