Meu eu do futuro

Eu sempre serei rídiculo para o meu espelho,
e infantil para o meu eu de amanhã, talvez até convencido.
Serei ingênuo com certeza.

O meu eu de amanhã sempre zombará de mim
até por essa petulância de tentar advinhar coisas de amanhã

E ele sempre lembrará como eu me sentia extremamente certo das coisas,
quando tudo estava errado, e eu não via, apenas com os olhos de amanhã

Então, ele vai lembrar das minhas palavras ditas erradas na infância
e de como eu era rídiculo esperando a menina passar

Claro, vai gargalhar lembrando como foi comico o primeiro olhar
e mais adiante, como foi natural relatar a ela esse dia, e ouvir dela a mesma coisa

Porque o meu eu de amanhã, vai olhar os meus futuros filhos brincando
e sentir saudades do passado correto, por mais que os meus pais disessem
que o tempo deles é que foram bons

E o meu eu do futuro talvez se surpreenda
quando perceber que concorda com ele mesmo,
do passado

Um comentário sobre “Meu eu do futuro

  1. Talvez não a porque questionar o tempo, ou porque as mudanças não ocorrem logo. Somente porque o tempo é algo essencial, porém não precisa ser comentado frenquentemente.

    Mudanças são normais, assim como os gostos, pois poemas era um desgosto pra mim e este blogue fez eu ver que talvez seja uma qualidade útil e inspiradora tanto na minha vida quanto na vida de muitas pessoas.

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.