Como quem não quer nada

E aí você vem como quem não quer nada
e toma tudo de mim, sem pedir permissão…
E eu que gostava de ter tudo sob controle
perco a direção sem perder a calma,
também sem agitação

E como quem não quer nada, você me tem todo
e eu que achava não possuir nada de valor,
entrego tudo o que eu tenho, buscando
ainda mais para oferecer

E eu que achava que você não queria nada,
tomou o todo de mim, aí que eu fui acordar
pra vida, sabendo que você arquitetou tudo
procurando no nada a saída sem falar de despedida,
apenas buscando a entrada da minha vida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.