Conta da gente, amor!

Eu te amo tanto e muito e quanto
com exagero manso, coisa de quem sabe o que fala,
mas se atropela e repete, fala, conversa e insiste,
que ama, jura que ama, morre de amor, se entrega,
hipérbole do gostar, ama sem pensar, só sabe que gosta
muito, quanto, um tanto, um tanto assim enorme!

Eu te amo, e amo mesmo e mais ainda amanhã, não duvide
e diga para os seus falsos amigos que não te querem feliz,
que te amo, amo mais agora, e mais amanhã e bem mais que ontem
e diga para todos que não duvida disso, se sente seguro comigo…

Vai lá, fala lá que você sabe o quanto é bem, bem querido,
bem amado, bem vivo em mim e que eu vivo pra você, vai lá!
Conta, amor, que sabe o quanto eu faço tudo por você
e que faço ainda mais se você precisar, que a gente se entende,
vai lá, diz para toda gente que a gente se compreende bem distante,
sou seu amante primeiro no fogo e no desejo, na sede e na febre

Diga lá para quem quiser ouvir que você sabe o meu sabor,
que ama, sufoca, aperta o peito, sente calor, que dá pra ver
no seu olhar o quanto está sendo feliz, como nunca!

Conta, mas conta com gosto, com vontade, com delicadeza,
conta com a beleza de ver a vida de frente, de ser feliz finalmente
conta da gente, conta, pode falar, abertamente
que a gente se ama como muita gente não sabe se amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.