Conta-gotas do ego

A vida me ensinou a ser prático
porque ato falho é essa ilusão
que a dúvida gera, esse não-dizer
que fica subentendido

Hoje não comigo, aprendi vivendo
os poetas vão obedecendo o pedido do coração,
e se sou claro com as palavras escritas,
as ditas não ficam na contramão

Honestamente, não vou dizer pra você
que não quis, se tentei e me permiti…
Valor tem, porque quando acontece o inevitável,
não existe meia verdade capaz de despistar

Não importa quem pegou quem
ou quem vai iniciar a roda da paixão,
importa, coração, o quando acontece,
e se acontece, a vida teve razão

Poeta não chora, não sofre por amor,
sabe lidar com alquimia, a pedra que um dia,
você chamou de coração

Poeta não derrama lágrima,
a água se um dia cair
é pra transbordar a represa
capaz de alagar e alargar a poesia
que festeja a transformação

Honestamente, se um dia quiser falar sério,
mistério não há no poema pra quem sabe ler,
pingos de letras que são pra você
conta-gotas do ego

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.