Dança das viúvas

Meu bem, meu bem
quanta falta você me faz
quantas lágrimas se desfazem
na minha pele envelhecida
na minha sudade contida
de meu velho, minha vida

Meu bem, bem meu
quanta falta de seus tropeços
das suas noites bebedo
em que eu lhe dava banho no chuveiro

Mais pra lá do que pra cá, era você
partiu de tanto beber, e sem me beijar
me restou uma pobre velho
corpo podre, e lábios quase secos
cheios de mau cheiro

Meu bem, que falta você me faz
dos braços fortes, para trocar a torneira da cozinha
das pernas longas, para trocar a lâmpada da varanda
do carro, para me levar da casa das amigas à quitanda

Que falta você me faz, meu velho
e sabe de quê mais me lembro, ironicamente?
foi em um dos bares desse quarteirão
que em meio ao partido alto dos bebados do asfalto
você me pediu em casamento

Ah, meu velho, eu aceitei prontamente
e, oh, que falta me faz seu jeito imperfeito
de ser você perfeitamente….

2 comentários sobre “Dança das viúvas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.