Versinho noturno

Poupe-me o pouco de beleza que ainda me resta
Não preciso dizer, – pare de graça -, não é necessário,
de forma alguma, qualquer tipo de confirmação pelo que sinto

Aliás, não me pergunte mais nada sobre isso;
Faça por onde merecer as minhas palavras
e os meus sentires, mesmo os tristes;

Sou apenas o reflexo do que você demonstra;
Todo sentimento meu é espelho do desejo seu
de viver e estar comigo seja lá qual for a intensidade…

Repertório Romântico

Ainda que se cante “Tolerância”
“Aqui”, eu também gosto de “Rosas”
ainda que “O Cristo – para muitos seja – de madeira”
“Eu – sempre, admito, – gosto de perder tempo com você”,
pois o amor sempre e “Simplesmente Aconteceu”

“Eu que não sei quase nada do mar”
sei que somos tão pequenos quanto
“Um edifício no meio do mundo”

“Confesso” que sou Implicante com você, “Joana”,
mas a culpa não é de “Beatriz”…

De “Quem de nós dois” será a culpa, minha querida?
Se sabemos que “O Avesso dos Ponteiros” é implacável

Seu “Retrato em Branco e Preto” eu contemplo
quando “Me sento na rua” e fico a pensar
porque você me disse – “Eu nunca te amei, idiota!”

Não confie em “Notícias Populares”, minha querida!
Todos destas “Ruas de Outono” ainda vão pagar caro
por tantos “Problemas” terem nos trazido

Eu sei que pra você tudo agora “É mágoa”
mas você sempre foi minha “Heroína e Vilã”
Lembra daquele “Vestido Estampado”?

Lembro-me sempre dos nossos carinhos no “Elevador”
São muito mais que “8 Estórias” para contar
São muitos nossos “Sinais de Fogo”, ah que saudade!

Saudade de “Um dia de domingo” com você
dos nossos “Milhares de Sambas” que “Entreolhares”
terminavam com nossas intimidades em “Cabide”
e nos “10 minutos” finais eu “Era” “Mais que a mim”….

Fragmentos de memória

E quando eu digo que estou pronta ainda é falsa verdade
porque eu não gosto dessa palavra, a mentira,
é apenas uma inverdade.

E quando digo que tenho certeza, é falsa a afirmação,
a dúvida sempre paira em mim, não há como negar

E quando eu digo que tudo é pra sempre,
é pra sempre pra mim, pra você, talvez não

Mas mesmo sendo só em uma via, as nossas vidas
são uma só, e quando eu digo que tudo já foi melhor….

É porque nós dois atuávamos, produzíamos a paixão

Hoje só um de nós ainda insiste
e joga aos ventos esses versos frios,
soltos no ar como os meus fragmentos de memória

Um pouco da nossa história jogada no mar

Oferenda pela canção, musicalidade dos anos juntos
do tempo astuto, das notas e das danças que tropeçamos juntos…