Perigo

Hoje você me abriu a sensibilidade
para escrever versos, poemas inteiros
de uma só vez, rasgando a inspiração

Assim como a canção cantada sem nexo
no ato automático de amar sem entender
(palavra por palavra eu só canto)

E em qualquer canto eu rabisco você
desde caderno, até as paredes se for preciso
Só assim para não correr perigo de te esquecer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.