Braços abertos

De braços abertos
a vida nos mostra
que a qualquer hora,
quando o inesperado
se apresenta,
quem fechou uma porta
amanhã se lembra,
e espera, apesar de tudo,
seus braços abertos

Na espera equivocada
de que você se coloque com rancor,
o amor mostra que as mágoas
ficam na ilusão daquele que feriu,
em você apenas doeu, mas passou

E é por isso mesmo, por ter passado,
que o futuro tem mostrado que as coisas
reacontecem, pois a paz entre os homens,
quando cresce, evolui todos nós…

Fora de tudo

Vamos lá,
sendo bem sincero,
será que cabe em nós
o espontâneo compromisso
do bem-querer?

Será que dá pra dizer
que a gente não força nada,
só se curte, só se vive,
só se encontra
sem se encontrar só?

Será que a gente pode
confessar a alegria
que instala mansa e serena
nas nossas vidas tão corridas
com objetivo de sermos grandes,
embora tão pequenos?

Será que a gente precisa
do contrato social que
estrangula os laços
com prazos pré-determinados
de saturação?

Será que, vamos lá, basta simples,
banais conversas entre dois amigos,
generosidade de não viver buscando
o vício da carne, nem ter outros planos

Vamos lá, será que acaba aqui
um momento de alegria completa,
aquela que não se aquieta em nossos peitos,
que se vale da lembrança pra repetir o feito
constantemente o constrangimento de se perceber
fora do contexto, fora da malícia, fora do mundo,
fora de tudo que não seja os segundos nossos…

Nó de nós

Minha querida,
aqui o desabafo,
cansei de retalhos,
das conversas pela metade,
cansei da amabilidade fajuta

Ajuda, seja sincera, minha querida,
não precisa fingir o que não deseja,
nós não somos obrigados a nada disso.

Liberto, sem causa injusta alguma,
percebo, de perto, sua angústia.
Minha querida, vamos parar com isso.
As suas mentiras não cabem mais em meus ouvidos.
Estou farto disso. Perdoe, não jogo mais.

Meu querido,
não jogo, nem nunca o fiz.
Caso se sinta infeliz,
não bata a porta, não grite,
nem me culpe, não se desculpe.
Sai.

Não lhe acuso, não vou cuspir
tudo que eu sei que não existe
só pra dizer que você é imundo
pra que eu saia ilesa e sem culpa,
não faça mea-culpa de algo
que não esquenta mais a alma

Calma, e segue
Asseguro que a liberdade
vale mais que qualquer laço
que já deu nó
por nós